A Brasileira

Reconheço que quando o café A Brasileira foi comprado pelo Caffé di Roma fiquei de inicio um pouco desgostoso com o resultado. Se por um lado é preferível termos um espaço transformado e descaracterizado ao invés de um que mantém toda a tradição e aspecto mas fechado, a cair aos bocados, por outro julguei que havia qualquer coisa travestida, falsa, no novo espaço. A juntar a tudo isto a perfeita incompetência, arrogância e total falta de profissionalismo dos funcionários não ajudou.

Mas agora dou por mim a frequentar mais vezes o espaço quando quero ir a um café simplesmente para tomar café ou então parar uns minutos tenho tendência para lá parar. Por um lado é limpo e não cheira mal, e essa é uma característica que infelizmente ainda não está suficientemente espalhada pelos estabelecimentos da cidade. Depois, e talvez mais importante, fora da hora de ponta é espaçoso, calmo, agradável e luminoso.
As mesas e cadeiras ainda são muito século XIX, como as do teatro S. João por exemplo: minúsculas, sem espaço para as pessoas, e as mesas servem para colocar três ou quatro peças e mais nada. Horríveis para servirem de centro a um grupo de pessoas, mas para parar uns minutos para um café é perfeito.
Mais: para ler um jornal ou trabalhar no computador, para quem vai de computador para um café, chega a ser estranhamente ergonómico. Com o espaço à justa somos obrigados a organizar todos os nossos objectos e a ter uma posição anatomicamente correcta. Não dá para muito tempo, mas para despachar serviço é perfeito. Aliás, é num ambiente destes que imagino o Fernando Pessoa a escrever, embora num sítio com menos luz e mais fumo de tabaco do que aqui.

O bónus são os empregados, ou mais correctamente, as empregadas, que estão em maioria: simpáticas, sorridentes, muito profissionais.

O actual Caffè di Roma não tem grande carisma, apesar da decoração trabalhada, pode não ser um local de culto, mas não só cumpre os objectivos como os excede de forma discreta e insidiosa. Como tudo isto partiu de um certo ódio, julgo que daqui ainda vais nascer uma grande paixão.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s